quinta-feira, 12 de julho de 2018

Os Ancestrais Avatares Espirituais dos Povos e Seus Livros Sagrados que Fundamentam as Religioes. - " O homem eh a medida de todas as coisas. "

A existência de Deus não eh cabalmente atestada pelas afirmações humanas expressas em seus livros sagrados, seja Pentateuco, Biblia, Corao, Tripitaka, Mahabharata, Zend-Avesta ou quaquer outro. Por mais sagrados que se reivindiquem serem, se limitam a serem projecoes mais precipuamente humanas em relação ao Criador , da forma como conceberam; da forma como cada povo, pelos seus ancestrais, concebeu. Nao duvidamos entretanto das altas inclinacoes espirituais e até mesmo mediunidade apurada desses ancestrais iniciadores das bases espirituais das diferentes religioes que fundamentaram, inclusive a facultar contatos com entes espirituais, dada a alta sensibilidade mediunica, entrega e até mesmo sacrificio pelo aprofundamento no que enveredaram em busca do seu saber , e que podem lhes terem dado seguranca tal para iniciarem com a suficiente convicção o que sabiam que estavam comecando, se sedimentando em si até como missao.
Esses iniciantes ancestrais dos povos, que iniciaram as bases religiosas de cada povo, certamente tinham uma forte inclinacao para o espiritual, o transcedental, o místico, e eram certamente dotados de mediunidade avantajada. Mas isso nao significa que tiveram real contato com o ser de Deus, do Criador propriamente dito. Isso não eh dificil de perceber, pois vemos que cada um dos povos desenvolveu um entendimento diferente de Deus, em suas prederterminacoes. Vemos que nos livros sagrados se confundem tambem supostas ordens e mandamentos do Deus em questao com nocoes do certo e do errado segundo as concepcoes de moral relativos ao entendimento de moral de cada povo deste: o que o Deus de um povo proibe, o de outro povo pode nao restringir. O que pode ser pecado ou proibido para um judeu, pode nao ser para um muçulmano ou budista, por exemplo.
         Isso visto, podemos enfim concluir que nenhum desses ancestrais dos diferentes povos tiveram de fato contato com Deus mesmo, ... embora, na base dos seus preceitos, haja em nome de Deus argumentado que tenham sido estabelecidos. Ora, mas como podemos concluir isso?! Eh muito simples: sendo Deus, no princípio dessas ordens, mandamentos, leis, etc. , nao haveria controvérsias entre o estabelecido para um povo e o estabelecido para outro povo; afinal, Deus nao iria atraves de um avatar, que seja, revelar mandamentos e leis do certo e do errado para um povo e para outro revelar mandamentos e leis diferentes, que em função de diferencas umas, se geram inclusive conflitos religiosos entre povos, guerras, atentados, etc. Ora, será que Deus iria semear a discordia na humanidade, entre os povos? Eh complicado imaginar que Deus tenha assim agido para assistir os povos em conflitos, como quem assiste a um reality show. Assim, podemos facilmente concluir que as religioes foram iniciadas pelos povos, até por boa vontade, pela necessidade de organizar esses povos, ordenar, conduzir em paz a convivencia ali; mas dizer que Deus esta na origem, de fato, nao. A Biblia eh um desses livros sagrados que afirmam contato direto com Deus, o criador, na ordenanca das leis. Deus bem que poderia entao aos outros povos determinar as mesmas ordenancas, nao eh? Pois bem, o que afirmamos aqui eh que essas leis e ordenancas foram determinadas pelos seus avatares, segundo suas proprias concepcoes de moral, de certo e de errado, etc., e nao que Deus, o Criador, de fato lhes tenha soprado nos ouvidos em um contato direto. Vejamos um exemplo bem basico e fundamental de como a concepcao pessoal eh que prevalece em escritos atribuidos a Deus, o Criador: na propria Biblia, logo quando do seu inicio diz: "No principio Deus criou os ceus e a Terra." Ora, todos avatares espirituais, todas as religioes entendem que Deus tudo criou, tudo bem, mas notamos ai que do ponto de vista de quem assim escreveu, Deus iniciou sua criacao por aqui, criando nossos ceus e a nossa Terra segundo a conhecemos, quando, na verdade, o que temos eh que a partir de uma explosao, o "Big-Bang", se originaram as galaxias, cometas , estrelas, sistemas solares, etc. , onde, os planetas que acabaram por se situarem a determinada distancia do seu sol puderam desenvolver a vida, e nao que Deus tenha, a partir de criar nossos ceus e nossa Terra, saido a criar o restante do universo; inclusive, outros planetas com vida podem e devem haver, e todos foram criados a partir de uma explosao universal. Isso bem demonstra o criterio pessoal adotado na concepcao da criacao do universo. Ora, se houvesse re fato um contato com o Criador, o iniciador da historia original dos hebreus iniciaria falando da grande explosao , pois assim Deus o teria revelado.
         Acreditamos na evolucao da humanidade para um futuro promissor de paz e uniao entre os povos,a partir de as cupulas religiosas se unirem e promoverem um entendimento em prol de uma harmonia em unidde. Cada livro sagrado, claro, encerram pontos, ensinamentos, passagens que podem ser positivamente aproveitados ainda como ensinamentos, orientacoes que podem ser bm aproveiabeis para o homem ainda hoje em necessidades de resppstas espirituais que possam buscar para sua alma em uma problematica ou outra, dentre outros fins para os quais se possa requerer; e nesse entendimento bem se poderia compilar um unico livro com o que fosse de ainda atual, importante, necessario para corresppnder a problemas e anseios do homem atual e assim se poderia formular uma ma rira atualizada de de lidar com a espiritualidade humana a contento dos que possam vir a precisar de orirntacao ou respostas neste ambito. Essa busca de harmonia e unidade poria fim aos conflitos religiosos, desde que se encertariam as disputas pela primazia de Deus e se promoveria de fato a paz entre os povos, preservando os valores espirituais para os que a ptezam, atraves de um unico livro, com os pontos relevantes para os diversos aspectos da vivencia e da convivenvia humana, com orientacoes, ensinamentos, pensamentos relevantes e ainda atuais paro o homem de hoje, compilado a partir do que for ainda importante para as necesidades da alma do homem atual, enquanto que os livros originais das varias religioes e que sao ainda fomentadores de conflitos e guerras seriam devidamente situados em prateleiras de museus com fins de pesquisa, para curiosos de um tempo pagina virada. Por ai...

A Geografia das Crenças - "O homem é fruto do meio. "

Sim, claro, o homem é fruto do meio; ele sofre as influências do meio em que se desenvolve, assimilando e sedimentando a sua cultura, e assim também a orientação religiosa. Se você tivesse nascido numa determinada tribo indígena no Amazonas, estaria provavelmente com a bunda de fora, dançando numa grande roda, todo pintado e se sentindo muito certo, integrado ao meio onde se desenvolveu e aprendeu a ter como o certo no mundo. Se tivesse nascido na Índia , estaria provavelmente reverenciando um dos deuses que lá são cultuados, vestido com indumentárias características dos indianos e a barba possivelmente dando no umbigo. Se tivesse nascido no Japão, estaria reverenciando Buda; se tivesse nascido no Oriente Médio estaria reverenciando Alá; quem sabe até se explodindo e a outras pessoas, a depender do grau de fanatismo com que assimilasse os valores passados pela religião lá. Se você tivesse nascido em um pais comunista , onde se dissemina a idéia de que não há Deus nenhum e que religião é coisa da ignorância e fraqueza humana e certamente acabaria como certo dessa idéia também.
           Somos frutos do meio, como dito , e você nasceu no Brasil, país de maioria cristã, logo, você é um evangélico ou católico, ainda que se diga um não praticante, pois conserva em si os valores do cristianismo que aprendeu desde batizado ainda bebê. Mas se você tivesse nascido no Irã, certamente seria um muçulmano, pois é a religião que sua família iria lhe passar como a certa. Mas você, como nasceu no Brasil, tinha uma grande possibilidade de ser cristão, por nascer numa família cristã, maioria no Brasil. Mas, porém, ainda que nascido no Brasil , você poderia também não ser cristão e ser do Candomblé ou da Umbanda, desde que nascido em família de uma dessas religiões, pois a família é a célula mater da sociedade, do meio, é de onde vem nossas primeiras referências, as quais sedimentamos , ainda mais que passadas pelas pessoas que nos educam e confiamos, por laços de sangue e afeto. Também, ainda que nascido no Brasil, você poderia não ser cristão, candomblecista ou umbandista, mas de outra religião qualquer que a família em que foi gerado abraçou. Você poderia também ter nascido numa família de ateus e sedimentar em si os valores do ateísmo. Imagine que você tivesse nascido num família cujo patriarca tivesse sido torturado e/ou morto pela ditadura militar por ter tentado o comunismo no Brasil com outros companheiros sonhadores de tal sociedade. Essa família iria lhe passar os valores do ateísmo de forma veemente, lhe levando à convicção de que não existe Deus algum, e que "religião é o opio do povo " ; algo fomentado pelo sistema capitalista para alienar e conformar as massas; sim, você poderia ter nascido em um uma família assim e crescer indiferente a qualquer religião, ou até mesmo combatendo - as.
         Essa diversidade religiosa só reforça a ideia de que o Deus que cada religião abraça e segue tem uma medida humana, da forma como os ancestrais dos povos conceberam o Criador.
Desta forma não tem religião certa ou errada; existe sim , aquela com a qual você se afina mais , segundo a sua natureza.
Hoje existe a noção de ecumenismo e também de inter-religiosidade, que busca aproximar as religiões em prol de uma convivência pacífica e não de conflito por Deus. Entendemos que uma unidade religiosa pode ser alcançada a partir de uma busca de harmonia entre as religiões e não disputas por Deus.

quarta-feira, 6 de junho de 2018

O que falta no Brasil é amor

Dizem que tem brasileiro que eh capaz de gastar mil reais para que seu vizinho não ganhe cem, só por sacanagem. Não sei onde ou ate onde isso eh verdade, mas eh evidente que, entre outras coisas, o que falta no Brasil eh amor, irmandade, união, compatriotismo. Os brasileiros não se veem como um povo irmão. Certamente que a diversidade de racas, de origens, de diferentes culturas e mentalidades que formam o povo deste pais contribui para não haver uma mais fácil e natural união, em que as pessoas se reconheçam de um modo mais familiar e sem estranhamentos de uns em relação aos outros; mas , porem, sendo um pais, delimitado por uma língua em comum em um território determinado, deveria haver um ponto de convergência que fundamentasse a coesão de todos em torno de um ideal dr nação que a todos abrangesse e unificasse como uma nação harmonicamente em sua conformação, formando uma unidade.
Um simbolo que universalmente representa o Brasil ante o mundo eh o Cristo Redentor ; Jesus, que ensinou a amar uns aos outros. Mas o que vemos, diferentemente do amor que o Cristo nos ensina, vemos eh a cultura do ódio disseminada e crescente entre brasileiros, em função de problemáticas que poderiam ser mais facilmente resolvidas se houvesse mais esse amor fraternal e compatriota que deveria permear entre os brasileiros, sob a égide do seu simbolo maior, o Amor, representado pelo Cristo Redentor.
E sob a égide do Cristo redentor, que nos recomenda esse amor, que deveríamos ter entre nos, independentemente de raca, de origem, de cultura, ao invés de vivermos a harmonia, a fraternidade que esse amor nos poderia proporcionar como bons compatriotas, o que presenciamos são os brasileiros se digladiando de varias formas, demonstrando seus ódios uns aos outros, como diferentes tribos em guerra. Assim eh que vemos brancos maltratarem pretos, sulistas maltratarem nordestinos e nortistas; os índios são desrespeitados em suas reservas entre outros exemplos. Essa falta de consideração, de irmandade, de compatriotismo entre brasileiros, este sentimento de superioridade e desejo de humilhar o compatriota brasileiro se mostrou mais evidenciadamente e vergonhosamente escancarado quando da politica do presidente Lula, quando proporcionou a pessoas humildes, das classes menos privilegiadas, pobres, um melhor poder aquisitivo e se manifestaram reações contrarias de pessoas das classes mais abastadas , que não aceitavam ver pessoas pobres, de classes mais
 humildes frequentando os mesmos aeroportos e aviões, as mesmas faculdades, alias, por falar em faculdade, a forma como muitos "bacaninhas" reagem contrariamente às cotas, evidencia também essa falta de compreensão e acolhimento deste importante recurso de reparação para a raca negra enfim ter maior possibilidade de acesso ao grau superior de estudo, visto a falta de condições de competição com pessoas de famílias brancas abastadas que podem se dedicar mais seu tempo ao estudo. A mentalidade escravagista, juntamente com o racismo, ainda permeia, passada através das gerações, na qual, guardadas as devidas proporções, se acha natural que uma gente pobre seja sempre pobre, como se isso fosse algo estabelecido por desígnio divino, da própria natureza. Assim como se tinha escravos por desígnio divino e natural para servir, os pobres seriam patenteadamente pobres para servir às classes mais abastadas, quase como escravos para servir aos mais abastados, sem direito de serem iguais, como compatriotas, e ascenderem a condões de vida mais dignas , mais iguais, como brasileiros também , que também são. Alias, outra coisa que brasileiro de classe mais abastada gosta de fazer eh humilhar os compatriotas pobres com piadas humilhantes, como se ser pobre fosse um defeito dessas pessoas e não fossem vitimas de uma injusta estrutura social. Vitimas de uma aberração social.

Poderíamos elencar aqui mais e mais exemplos dessa desunião, falta de fraternidade, de compatriotismo que permeia entre os brasileiros; essa falta de amor sob a égide do Cristo Redentor, simbolo universal da nação entre brasileiros; essa falta de amor entre os pares auriverdes.
Não podemos apontar aqui uma perspectiva de solucao imediata, de mudança dessa situação, para que os brasileiros passem a se convergirem numa nação, em compatriota união de uma nação: brancos, negros, índios, mestiços, descendentes de outras etnias, de outras racas estrangeiras, etc. , mas constatar e apontar essa problemática já eh importante para uma reflexão e discussão do tema para que se tentar encontrar uma solução , um ponto de convergência , de união da raca brasileira, sem a cultura do ódio e o respeito mutuo e o reconhecimento do outro como par sob uma bandeira, uma nação, independente de raca, cor, cultura, religião, região. Constatar isso já eh um começo para se procurar reformar um novo Brasil, em que todos se reconheçam como pares e se comece a formar um Brasil unido e coeso, com amor.

terça-feira, 27 de fevereiro de 2018

O Material e o Espiritual

Nem todos tem alguma sensibilidade para o sobrenatural; nem mesmo alguma intuição tem. Mas não é necessariamente culpa da pessoa. É a natureza que faz uns assim tão na matéria e outros são de natureza mais sensível ao sobrenatural. Eh a natureza de cada um , e está ligada a raças também. É bem ilustrativo se formos perceber uma grande diferença entre hebreus e egípcios. Hebreus têm em sua cultura relato de visões, de aparições de espíritos, de até mesmo interação com espíritos, etc. Isso demonstra a natureza de um povo , que tem comumente entre os seus, sujeitos com essa sensibilidade de percepção, e tem sua cultura pautada nisso, daí a religiosidade como é, os escritos, etc. Os hebreus por serem assim não se preocupavam com morrer, pois dada essa sensibilidade da raça ( claro que não são todos da raça também, né ? ) sempre entenderam que a vida continua após a morte, apenas auferem a isso coisas como destinação, céu ou inferno, etc.. Já os egípcios com a sua cultura de embalsamar corpos na esperança de vir um dia uma forma de restabelecer o morto da morte lhe preservando o corpo físico demonstram já a natureza materialista e não perceptiva de um outro mundo , uma outra dimensão, o mundo espiritual.

( Jesus Através da Música Pop !
http://vestigiosdaluz.blogspot.com )

sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

SERÁ QUE O QUE JESUS NOS FALA É COERENTE COM O QUE DEUS NOS PODERIA QUERER DIZER ?




TEM GENTE QUE NÃO ENTENDE  NADA DE JESUS E FICA FALANDO UM MONTE DE BESTEIRA SOBRE O MESMO, QUERENDO FAZER ILAÇÕES BOBAS SOBRE SUA PALAVRA E QUERENDO  INSINUAR QUE JESUS ESTÁ ERRADO AO FALAR ISSO, AO FALAR AQUILO, AO ACONSELHAR ISSO, AO ACONSELHAR AQUILO, AO MANDAR ISSO , AO MANDAR AQUILO. ESSA GENTE PASSA MESMO UM GRANDE ATESTADO DE IGNORÂNCIA. TUDO BEM SE ALGUÉM DIZ QUE JESUS É UMA INVENÇÃO,  ( E AQUI PRA NÓS, SE É INVENÇÃO, QUEM INVENTOU PENSOU NA PERFEIÇÃO ; UM VERDADEIRO GÊNIO ESSE TAL INVENTOR ) QUE NÃO EXISTIU, ETC.  MAS QUERER QUESTIONAR O SER EM SI COMO ERRADO AO DETERMINAR ISSO OU AQUILO, AÍ JÁ É ALGO NÉSCIO. ORA, JESUS FALA COMO PORTA VOZ DE DEUS, NÉ ? TUDO BEM QUE ALGUÉM NÃO ACREDITE , AÍ JÁ É OUTRA COISA; NÃO ESTAMOS AQUI QUESTIONANDO ISSO; MAS ANALISEMOS COMO A COISA EM SI NOS É APRESENTADA: ALGUÉM , QUE DIZ QUE O QUE FALA É O QUE DEUS LHE MANDOU FALAR, NÉ ? PONTO PACÍFICO. POIS BEM, SERÁ QUE DEUS COMO O PAI DE TODOS VAI INCENTIVAR, A VINGANÇA OU VAI PEDIR PARA QUE SEJAM SEUS FILHOS MANSOS E PACÍFICOS? CLARO QUE A SEGUNDA HIPÓTESE, NÉ ? ORA, SE O QUE JESUS FALA É COERENTE COM O QUE DEUS NOS PODERIA QUERER DIZER , ACONSELHAR, PEDIR É O QUE IMPORTA ; E CERTAMENTE QUE SIM ! COISAS QUE JESUS FALA É COERENTE COM O QUE DEUS NOS PODERIA QUERER DIZER, COM CERTEZA. AÍ TEM QUEM ACHE UM ABSURDO QUE JESUS POR EXEMPLO FALE PRA AMAR OS INIMIGOS, NÉ ? ORA, MAS POR QUE VOCÊ SE ACHA MELHOR DO QUE SEU INIMIGO ? POR QUE O SEU INIMIGO SE ACHA MELHOR DO QUE VOCÊ ? VOCÊ E SEU INIMIGO TEM UMA DIFERENÇA POR ALGUMA RAZÃO , MATERIAL , TERRENA , O QUE FOR, MAS PARA DEUS COMO PAI DE TODOS NENHUM É MELHOR DO QUE O OUTRO ; APENAS ALGUMA QUESTÃO OS DIVIDE E OS FAZEM OPONENTES, MAS DEUS OS AMA IGUALMENTE; DAÍ O ACONSELHAMENTO  DE AMAR O INIMIGO SER COMPATÍVEL , COERENTE COM O QUE DEUS NOS PODERIA QUERER DIZER. DO MESMO MODO, NA MESMA LÓGICA DE ANÁLISE OUTROS MANDAMENTOS , INCLUSIVE O POLÊMICO E DIFÍCIL MANDAMENTO DE ‘OFERECER A OUTRA FACE’ ! É COMPLICADO ? É,  CLARO ! MAS TEM COERÊNCIA COM O QUE DEUS NOS PODERIA REQUERER DE SEUS FILHOS:  SER MANSO, NÃO SER VINGATIVO, ETC. OU SERÁ QUE DEUS, SENDO DEUS, IRIA DIZER QUE SE ALGUÉM BATER NA SUA FACE QUE PASSE-LHE A ZORRA NELE. A MAIORIA PODE ATÉ PENSAR ASSIM ; É COMPREENSÍVEL , MAS NÃO TERIA COERÊNCIA COM O QUE DEUS NOS MANDARIA DIZER PRA FAZER. AÍ SÓ O DEUS MARTE, QUE É O DEUS DA GUERRA LÁ NA GRÉCIA, MAS NÃO É COMPATÍVEL COM A PROPOSTA CRISTÃ, QUE DIZ FALAR POR DEUS QUE O ENVIOU.  NO ÂMBITO RELIGIOSO ATÉ SE PODE QUESTIONAR JESUS NESSAS COISAS; POR EXEMPLO, UM JUDEU , UM RABINO PODE QUESTIONAR JESUS, UM MUÇULMANO ATÉ, MAS ISSO, DENTRO AINDA DO ÂMBITO RELIGIOSO, PROPONDO QUE DEUS NOS QUER DIZER OUTRA COISA E TAL , MAS UM LEIGO ( EM ASSUNTO DE TEOLOGIA ) QUALQUER QUERER DIZER SIMPLESMENTE QUE JESUS ERRA COM MANDAMENTO ESSE OU AQUELE PORQUE ESSE OU AQUELE MANDAMENTO ACONSELHA SERVIDÃO, FROUXIDÃO, COMODISMO, ETC. ETC. , QUER DIZER , ANALISANDO SEGUNDO SEUS PENSAMENTOS MUNDANOS , TERRENOS, MATERIALISTAS E DE MODO RUDE E GROSSEIRO, AÍ É PASSAR ATESTADO DE IGNORÂNCIA, POIS NÃO CONSIDERA NA COISA EM SI DE QUE O SER QUE FALA, DIZ QUE É O QUE DEUS O MANDA DIZER. E SE FOR VER, REALMENTE TEM COERÊNCIA COM O QUE DEUS NOS PODERIA QUERER DIZER, SIM ! NÃO ACREDITAR, TUDO BEM , MAS QUERER DIZER QUE ELE DEVIA FALAR O CONTRÁRIO DO QUE DIZ É QUERER MANDAR EM DEUS, NÉ ?( NESSE ÂMBITO FALANDO ). QUER QUESTIONAR O QUE JESUS DIZ, TUDO BEM, QUESTIONE, MAS DENTRO DO ÂMBITO TEOLÓGICO , MAS NÃO DENTRO DO ÂMBITO, TERRENO, MATERIALISTA, HUMANO ( O HOMEM, CHEIO DE DEFEITOS, BAIXOS INSTINTOS, EGOÍSMO, ETC. E ETC. ). ORA, TEOLOGIA NÃO É CIÊNCIA PRA QUALQUER MANÉ, QUALQUER TODDYNHO CHEGAR E DIZER BESTEIRAS. NÃO ACREDITAR, DIZER QUE NÃO EXISTIU, QUE É INVENÇÃO, TUDO BEM , É COMPREENSÍVEL , MAS QUERER QUESTIONAR O COMO SE APRESENTA COMO QUE É , QUERENDO DIZER QUE É ERRADO E DEVIA DIZER DIFERENTE, AÍ JÁ É DEMAIS, NÉ ? ATESTADO DE BURRICE. VEJA SE O QUE DIZ JESUS É COMPATÍVEL COM O QUE DEUS NOS PODERIA QUERER DIZER; SE AINDA ASSIM QUER QUESTIONAR, SÓ CABE DENTRO DO ÂMBITO TEOLÓGICO, MAS NÃO DENTRO DO NOSSO ÂMBITO HUMANO, IGNORANTE, IMPERFEITO.

( Jesus através da Música Pop

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Relato em Livro de Lobsang Rampa Atesta Existência de Jesus

Lobsang Rampa atesta neste relato em um de seus livros “ O Eremita” que de fato Jesus existiu. Jesus neste relato nos foi enviado pelos sábios ETs com a função de levar disciplina espiritual para a humanidade; embora nem tudo tivesse saído como se esperava que fosse, por conta de certas gentes. Veja aqui o relato trazido no livro:

“Houve outros que fundaram novas formas de religião, como Maomé, Confúcio e muitos outros que seria inútil mencionar. Mas cada um desses homens era controlado por nós ou adestrado com a intenção fundamental de que uma crença mundial seria estabelecida e então os líderes dessas religiões guiariam os seus adeptos para uma vida melhor. Queríamos que cada ser humano procedesse em relação aos outros como gostaria de que os outros procedessem em relação a ele. Tentamos criar um estado de harmonia universal tal como existia em nosso Império, mas essa nova humanidade não estava ainda suficientemente adiantada para abandonar o egoísmo e trabalhar pelo bem dos outros.

Os sábios estavam muito descontentes com os progressos alcançados. Em vista disso, um novo plano foi proposto. Um dos sábios havia observado que todos os enviados à Terra até então tinham sido introduzidos em famílias ricas. Como ele corretamente raciocinou, as classes mais humildes rejeitavam automaticamente as palavras de uma pessoa das classes mais altas. Desse modo, efetuou-se uma pesquisa, primeiro nos arquivos do passado, à procura de uma mulher em condições de ter tal filho. Procurou-se uma mulher em condições de uma família das classes mais humildes e num país onde se esperava que uma nova religião ou doutrina pudesse florescer. Os pesquisadores se empenharam nessa tarefa. Apresentaram-se numerosas possibilidades. Três homens e três mulheres foram desembarcados na Terra s fim de que pudessem prosseguir nas investigações para que a família mais conveniente fosse selecionada.

O consenso da opinião apontou uma jovem mulher que não tinha filhos e era casada com um praticante de um dos mais velhos ofícios da Terra, o ofício de carpinteiro. Os sábios raciocinaram que a maioria do povo era dessa classe e que portanto haveria mais disposição a ouvir a palavra de um deles. Assim, a mulher recebeu a visita de um de nós, a quem tomu por um anjo, que lhe disse que ela ia receber uma grande honra. Ia ter um filho que seria o fundador de uma nova religião. No devido tempo, esperou seu filho, mas então correu um desses fatos muito comuns naquela parte do mundo. A mulher teve de deixar a casa em companhia do marido em consequência da perseguição de um rei local.

Dirigiram-se para uma cidade do Oriente Médio e ali a mulher descobriu que a sua hora era chegada. Não havia lugar algum para onde pudessem ir senão à estrebaria de uma estalagem. Ali nasceu o menino. Tínhamos seguido a fuga, prontos para entrar em ação, se houvesse necessidade. Três homens da tripulação da nave de vigilância desceram à superfície da Terra e se encaminharam para a estrebaria. Souberam com desalento que a nave deles fora vista e tomada por uma estrela nova.

O menino chegou à idade adulta e, graças a doutrinação especial que recebia constantemente pela telepatia, mostrou muita promessa. Ainda menino, discutiu com os mais velhos e, infelizmente, despertou a antipatia dos sacerdotes locais. Ainda bem moço, afastou-se daqueles que conhecia e viajou para muitas terras do Oriente. Nós o encaminhamos para o Tibete e ele atravessou as montanhas e passou algum tempo na Catedral

De Lhasa, onde ainda agora se pode ver a marca de suas mãos. Ali recebeu conselhos e assistência para a formulação de uma religião adequada aos povos ocidentais.

Durante a sua permanência em Lhasa, foi submetido a tratamento especial no qual o corpo astral do humano terrestre foi libertado e levado para outra existência. Em seu lugar, foi escolhido um corpo astral escolhido por nós. Tratava-se de uma pessoa com grande experiência de assuntos espirituais, muito maior experiência do que poderia ser conseguido na Terra em quaisquer condições. Empregamos com frequência esse sistema de transmigração no tratamento de raças atrasadas. Afinal, tudo ficou pronto e ele fez a longa viagem de volta à sua terra. Ali chegando, teve êxito de recrutar certas pessoas que o ajudaram a disseminar a nova religião.

Infelizmente, o primeiro ocupante do corpo havia provocado a antipatia dos sacerdotes. Estes se lembraram do fato e tramaram cuidadosamente um incidente em consequência do qual o homem foi preso. Desde que dominavam o juiz que tinha de conhecer do caso, a conclusão era inevitável. Pensamos em salvá-lo, mas chegamos à conclusão de que isso teria maus resultados para a população em geral e para a nova religião.

A nova forma de disciplina espiritual se propagou. Mas , ainda uma vez, houve quem a subvertesse para servir aos seus fins pessoais. Cerca de sessenta anos depois de seu início, foi realizada uma grande assembleia na cidade de Constantinopla. Muitos sacerdotes ali se reuniram. Muitos deles eram homens pervertidos que tinham desejos sexuais depravados e consideravam impura a heterossexualidade. Graças ao seu voto majoritário, os ensinamentos verdadeiros foram alterados e a mulher foi considerada impura. Passaram a professar erroneamente que todas as crianças nascem em pecado. Resolveram publicar um livro sobre os acontecimentos de sessenta anos antes.

Foram contratados escritores para redigir os livros dentro das mesmas linhas, utilizando tanto quanto possível as histórias e lendas que tinham sido transmitidas, com todas as suas inexatidões, de uma pessoa para outra. Durante anos a fio, várias comissões se reuniram para acrescentar, cortar ou alterar os trechos que não lhes agradavam. Por fim, foi escrito um livro que não ensinava a verdadeira crença mas era, na realidade, material de propaganda para realçar o poder dos sacerdotes. Durante os séculos seguintes, os sacerdotes, que deveriam ajudar no desenvolvimento da humanidade, impediram-n ativamente. Propagaram-se falsas lendas e torceram-se os fatos. Se os povos da Terra e particularmente os maus sacerdotes não mudarem de rumo, nós os povos do Império, teremos de ocupar o mundo da Terra. Enquanto isso, salvo em casos extremos como este, temos ordens de não ter contato com os homens e de não entrar em entendimento com nenhum governo na Terra. “

Através do link o livro on line essa narrativa pode ser a partir da página 169:

( https://pt.scribd.com/document/70610307/Lobsang-Rampa-o-Eremita )

O Eremita – Lobsang Rampa

Editora Recod - 9ª Edição

Páginas 180 a 183

Narrativa em Livro de Lobsang Rampa Converge Para Roger Penrose Sobre Origem do Universo



Relato em livro de Lobsang Rampa corrobora com as ideias de Roger Penrose sobre origem do universo. Segundo Penrose “Big Bang pode não ter sido somente o início de tudo, como também, o fim de um outro Universo.” No relato em Lobsang, o universo surge a partir de um cometa “colidir com o mundo frio e morto que tinha sido o centro daquela galáxia.” Em ambos se pode concluir que vem o universo a partir de outro findado.

“ Segundo Roger Penrose, prestigiado físico da Universidade de Oxford, o famoso Big Bang pode não ter sido somente o início de tudo, como também, o fim de um outro Universo que existia antes desse. E, melhor, o britânico diz ter agora evidências concretas sobre esse ciclo cosmológico.” Veja aqui mais detalhes. (http://www.galeriadometeorito.com/2013/08/big-bang-pode-ter-sido-o-fim-de-um.html )


Veja como nos relata Lobsang Rampa:

“As estrelas iniciaram um balanço rítmico umas em relação às outras e em torno de algum centro invisível ... apareceu então um vasto cometa com a cauda flamejante apontado para aquele centro escuro e invisível. O cometa correu... arrastando outros mundos. Foi, afinal, colidir com o mundo frio e morto que tinha sido o centro daquela galáxia. Outros mundos, arrastados das suas órbitas predetermidas pelo aumento da gravitação, precipitaram-se numa corrida de colisão. No instante em que o cometa e o mundo morto colidiram, todo o universo pareceu explodir em chamas. Vórtice de matéria incandescente foram atirados através do espaço. Gases chamejantes envolveram os mundos próximos. Todo o universo, tal como era visto na tela... se tornou uma brilhante e violenta massa de gases em fogo.

Pouco a pouco, a intensa claridade que enchi todo o espaço diminuiu. Afinal , houve uma massa central flamejante logo cercada de menores massas também em chamas. Fragmentos de material incandescente foram arremessados longe enquanto a grande massa central vibrava e se convulsionava na agonia da nova conflagração ...

A luminosidade do sol central se amorteceu, mas, ainda assim, era muito grande. Os mundos próximos ainda estavam em fogo, mas já se moviam e giravam nas suas novas órbitas... ”

O Eremita – Lobsang Rampa
Editora Recod - 9ª Edição
Páginas 150 e 151

( Por este link, veja no livro on line esse trecho a partir da página 136 )